Recursos para a Educação em Ciências
    Banca da Ciência | Experimentoteca | Mão na Massa
 

Como Escolher as Plantas Para Colocar no Terrário?

Discuta com os alunos as plantas que se adaptarão ao terrário

Clique para ampliar

Objetivos

  • Identificar as partes das plantas;
  • Coletar plantas para colocar no terrário;
  • Identificar quais são os melhores tipos de plantas para utilizar no terrário;
  • Aprender como coletar os vegetais para utilizá-los no terrário posteriormente;
  • Verificar a diversidade das plantas;
  • Verificar as diferenças entre as plantas coletadas e entre as partes de cada uma delas;
  • Estimular o registro na forma de desenhos, gráficos e tabelas;
  • Compreender a funcionalidade de cada órgão da planta.

    Conteudos

    Partes das plantas – funções – terrário – sol - sombra

    Material

  • Terrário (montado)
  • Plantas diversas coletadas no jardim da escola ou trazidas pelos alunos
  • Lápis de cor
  • Lápis preto
  • Régua

    Inicio

    Esta atividade poderá ser iniciada com uma retomada dos conhecimentos prévios dos alunos sobre a vegetação que eles conhecem. Algumas questões podem ajudar no encaminhamento da discussão, como: Quais são as partes das plantas? Todas as plantas são iguais? No que elas diferem? Elas têm as mesmas necessidades? No que elas são parecidas? Podemos plantar as mesmas plantas em um mesmo local? Por quê? Qualquer planta pode viver dentro do terrário que construímos? Quais são as características que as plantas precisam ter para sobreviver no nosso terrário? Onde colocaremos o terrário aqui na sala? O terrário ficará na sombra ou no sol? Se for no sol, quais as plantas que se adaptarão melhor? (cuidado, com o terrário no sol, ele pode se transformar em uma estufa e matar as plantas e os animais) E se for na sombra? Quais as plantas que colocaríamos?

    Colocando

    Pede-se aos alunos que ilustrem em seus cadernos as plantas que sobreviveriam no terrário. Após esta, deve-se programar com eles uma visita ao jardim da escola, ou no entorno da mesma para que eles observem e coletem algumas plantas. Caso, não tenha jardim na escola ou no entorno, pede-se para cada aluno que traga uma planta de casa ou que colete enquanto vem para a escola.

    Ao retornarem para a sala de aula, peça que cada aluno descreva a planta coletada, e desenhe-a em seu caderno; a partir dessa experiência, os alunos perceberão se desenharam corretamente ou esqueceram alguma parte da planta. Provavelmente, a raiz será esquecida no primeiro desenho.

    Após a coleta e o desenho, os alunos discutirão sobre as funções de cada parte da planta. As plantas que foram recolhidas sem a raiz, devem ser aproveitadas, ou seja, ao serem plantadas no terrário, darão ao aluno a possibilidade de perceber se elas podem ou não sobreviver. Após esta discussão, o professor poderá questionar: Das plantas que temos aqui, quais são as melhores para plantarmos no terrário? Por quê? Ao professor deve ser lembrado que o tamanho das folhas das plantas e da raiz deve estar de acordo com o tamanho do terrário. Se o mesmo for pequeno, os alunos devem escolher plantas proporcionais.

    Acordo

    Todos os alunos devem estar de acordo sobre as plantas que serão colocadas no terrário (caso só tenha um terrário por classe). Após o plantio, os alunos poderão observar a cada semana a evolução das plantas (se elas cresceram, ou não, se morreram, se produziram sementes, flores, frutos). É interessante que eles anotem tudo no caderno (a data e o que aconteceu com a planta).

    Registro

    Se os alunos forem estudar o crescimento das plantas, eles poderiam elaborar uma tabela de crescimento. Como mostra abaixo. [TABELA]
    DataCrescimento da planta
    2 de março de 2006A semente de girassol germinou

    Dados adicionais

    Sequencia:  

    1

    Número:  

    2

    Tipo:  

    atividade

  •  
     

    O CiênciaMão é um projeto de extensão universitária da Escola de Artes, Ciências e Humanidades da Universidade de São Paulo, com apoio da Universidade Federal de São Paulo e das entidades abaixo listadas. É coordenado pelo grupo de pesquisa Interfaces. Constitui-se em um repositório de recursos para a educação em ciências, voltado para educadores em geral. Os itens listados são cadastrados manualmente em um banco de dados, de acordo com diretrizes editoriais da coordenação do projeto.

     

    EFLCH
    Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas

     

    EACH
    Escola de Artes, Ciências e Humanidades

    Financiamento e apoio:


    UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO
    Copyright © 2006-2013 Universidade de São Paulo - Todos os direitos reservados