Atividades de Ciências da Natureza

De Volta Para o Futuro, o Filme: uma Atividade Para o Ensino de Física Sobre o que É Ficção e Não Ficção em Sua Estória

Alisson Leite Gomes


Resumo

O primeiro filme da trilogia De Volta Para O Futuro lançado em 1985 é sem dúvidas um dos filmes de ficção científica que aborda a temática de viagem no tempo com maior sucesso entre o grande público. A estória do típico adolescente norte-americano dos anos 80, Marty McFly, interpretado pelo ator Michael J. Fox que é enviado para o passado pela máquina do tempo (o DeLorean) do excêntrico Dr. Brown interpretado pelo ator Christopher Lloyd, mexeu e provavelmente ainda mexa com o imaginário daqueles que assistirem ao filme. Mas até que ponto as cenas apresentadas nesse filme condizem com a ciência, o que é ficção e não ficção nessa fantástica estória. A fim de trabalhar com essas questões apresentaremos a seguir uma atividade com real potencial de uso no ensino de Física.

Objetivos

Analisar a veracidade dos conceitos científicos específicos a Relatividade Especial presentes no enredo do filme De Volta Para o Futuro.

Estrutura da Atividade

  • Apresentação da atividade para a classe
  • Montagem dos grupos de trabalho
  • Realização da atividade pelos grupos
  • Entrega dos dados obtidos durante a realização da atividade para o professor
  • Discussão da atividade com a classe, orientada pelo professor

Organização da Classe

Esta é uma atividade que deve ser realizada fora da sala, porém, no momento de sua discussão sugeri-se a realização de uma mesa redonda para exposição dos resultados e o esclarecimentos de dúvidas.

Formas de Registro

Os grupos deveram produzir um texto de no máximo duas páginas.

Introdução

Quando encarados como recursos didáticos (PIASSI & PIETROCOLA, 200?), os filmes possuem como vantagens o apelo audiovisual com seus efeitos especiais, a linguagem simples (comparada ao texto escrito), a ação e o conhecimento comum por parte dos estudantes a respeito de muitas obras. Além disso, os filmes despertam maior interesse nos alunos do que outros recursos didáticos. Entretanto, levar um filme para a sala de aula pode ser muito complicado. No geral os filmes de FC requerem um tempo de apresentação estimado em duas horas, além do que a linguagem cinematográfica pode inibir a imaginação e a criatividade do aluno ao exibir as cenas prontas, sem dar espaço para a sua elaboração. Todavia essa atividade propõe uma das várias alternativas que se tem para minimizar esses efeitos quando se usa filme de ficção cientifica no ensino de ciências ou de outras disciplinas. Essa alternativa será apresentada tendo como recurso de mídia o filme De Volta Para o Futuro, contudo essa atividade também poderá ser realizada com qualquer outro filme que tratar de viagens no tempo.

Material

  • Aparelho que reproduza DVD
  • DVD

Montagem

O filme tem o tempo de execução de aproximadamente 1h45min, com base nos argumentos apresentados na introdução sugerimos que cada grupo assista ao filme fora do período de aula, ou seja, a reprodução e a analise do filme, assim como a elaboração do texto, deverá ser realizada pelos alunos. Caberá ao professor a discussão e o esclarecimento de dúvidas, além é claro da avaliação dos trabalhos.

Procedimento

Os grupos deverão assistir e produzir um texto de no máximo duas páginas, relacionando o que aprenderam sobre Relatividade Especial com o enredo do filme. Os grupos podem calcular v/c e gama utilizando a velocidade do carro do Dr. Brown, bem como eles também devem apresentar uma analise do que seria possível ou não de acontecer, segundo a Relatividade Especial de Einstein.

Situação-Problema

Até que ponto as cenas apresentadas no filme De Volta Para o Futuro condizem com a ciência, o que é ficção e não ficção nessa estória?

Hipóteses

De acordo com teoria da Relatividade Especial é possível viajar no tempo?

A velocidade máxima do DeLorean possibilita uma viagem para o passado?

Elementos Para Testar as Hipóteses

  • A velocidade máxima do carro do Dr. Brown
  • A estrutura do carro

Observações

Esta atividade pode ser realizada com qualquer outro filme que também aborde o tema de viagens no tempo.

Resultados

Clique para ampliar
Figura 1 - Fig.1

Discussão Pedagógica

Esta atividade possibilita ao professor avaliar seus alunos, quanto aos conhecimentos adquiridos sobre a teoria da Relatividade Especial e sobre a capacidade de aplicá-los para analise de situações.

Discussão de Conteúdo

Para exemplificar uma das várias possibilidades de discussão de conteúdos presente nessa atividade, adotamos como foco investigativo para a presente analise a velocidade necessária para que o DeLorean viaje no tempo e a sua capacidade de deslocar para o passado e/ou futuro. Portanto com base no resultado do cálculo do fator de Lorentz pode afirmar que os relógios dentro do DeLorean sofrem um alongamento, ou seja, uma dilatação temporal de 0,000000001 segundo em relação aos relógios externos. Isso significa que o DeLorean a 88mph vai apenas para o futuro (e neste caso é um futuro muito próximo) e nunca para o passado. Pois de acordo com a relatividade especial uma estrutura complexa como um carro, o tempo tem apenas um único sentido (HEWITT, 2002).

Sabendo-se que para o DeLorean viajar no tempo é necessário apenas que ele mova-se a uma velocidade diferente de um outro referencial. A cena do filme que explica a ativação do condensador de fluxo de plutônio capaz de fornecer uma potência máxima de 1,21 Gwatts a mais para o DeLorean, nos leva a especular ainda que não esteja explicito no filme que o DeLorean sofre um aumento no seu momento. Todavia, por mais que sua velocidade tenha aumentado essa velocidade não poderá jamais ser igual ou próxima da velocidade da luz. Porque quanto mais momentum o carro necessitar, mais difícil torna-se poder proporcionar isso para ele. Daí pode-se afirmar que a sua velocidade é inferior a velocidade da luz, já que a sua fonte de potência é fixa. Além do que, ainda que a velocidade do DeLorean fosse Próximo da velocidade da luz a estrutura do carro não seria capaz de suportar tamanha radiação gerada por esse feito.

Referências

  • HEWITT, Paul G. Física Conceitual – 9. ed. – Porto Alegre: Bookman, 2002
  • PIASSI & PIETROCOLA. Ciência à Mão. Ficção & Poesia. Quem Conta Um Conto Aumenta Um Ponto Também Em Física: Contos De Ficção Científica Na Sala De Aula. Acesso em 15/07/2009. Disponível em: http://www.cienciamao.if.usp.br/dados/ale/_2007quem.arquivo.pdf

Noções Científicas

Os alunos submetidos a essa atividade deverão estar cursando ou já ter cursado alguma disciplina que aborde o tema da teoria da Relatividade Especial.

Dados adicionais

Autores: Alisson Leite Gomes

Duração: Três aulas

Termos Científicos: Relatividade Especial, Dilatação Temporal, Ficção Cientifíca, Fator de Lorentz

Área: física

Tema: Relatividade Especial

Enfoques: Uso de material

Material Didático: Vídeos

Atividade Experimental: Atividades Investigativas,Recursos audiovisuais

Artes: Filmes e Seriados

Como Obter

Baixar Arquivo Pdf

INTERFACES E NÚCLEOS TEMÁTICOS DE ESTUDOS E RECURSOS DA FANTASIA NAS ARTES, CIÊNCIAS, EDUCAÇÃO E SOCIEDADE
Copyright © 2006-2015 Universidade de São Paulo - Universidade Federal de São Paulo
Escola de Artes, Ciências e Humanidades da USP
Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da UNIFESP
Instituto de Ciências Ambientais, Químicas e Farmacêuticas da UNIFESP
Todos os direitos reservados

Financiamento e apoio: