Atividades de Ciências da Natureza

Desenvolvimento Embrionário

Aline de Freitas Leal, Gisele dos Santos Custódio, Marcos Santos Barbosa, Zaqueu Vieira Oliveira


Resumo

A célula formada pela união dos gametas masculino e feminino, o zigoto, após algum tempo dá início ao seu desenvolvimento embrionário, processo através do qual o novo ser começa a originar um ser multicelular, ou seja, um ser que pode possuir até trilhões de células de tipos muitos diferentes e especializadas a desempenhar atividades específicas.

Objetivos

O objetivo da atividade é proporcionar aos alunos um melhor entendimento a respeito do desenvolvimento embrionário, visto que se trata de um assunto pouco compreendido pelos alunos.

Estrutura da Atividade

Primeiramente os alunos assistirão ao vídeo.

Depois o professor deverá realizar uma aula com os principais processos para que o asssunto seja bem fixado.

Na aula seguinte os alunos deverão entregar uma espécie de "história em quadrinhos", assim como realizaram na atividade da fecundação, visto que são fenomenos sucessivos.

Introdução

O processo de formação de uma nova vida se inicia a partir de uma sequência de eventos que começam com o contato de um espermatozóide com um óvulo, onde ocorre a fusão dos núcleos desses dois gametas e a consequente mistura dos cromossomos maternos e paternos.

Os pronúcleos masculinos e femininos aproximam-se, suas membranas nucleares desaparecem e ocorre a fusão, formando assim, uma célula diplóide (2n), o zigoto.

A partir ocorre uma sequência de processos que trataremos brevemente aqui.

O zigoto sofre divisões mitóticas gerando duas células-filhas, os blastômeros.

Por volta do terceiro dia, uma bola sólida com cerca de dezesseis blastômeros constitui a mórula que chega ao útero. Entre suas células começa a penetrar um líquido oriundo da cavidade uterina. Conforme o ocorre o aumento do líquido se inicia a separação das células em duas partes: camada externa: trofoblasto (grupo de células centrais) e a camada interna, denomidanada embrioblasto.

No quarto dia os espaços cheio de líquidos se conectam para formar um único espaço, a cavidade blastocística, transformando a mórula em um blastocisto.

No quinto dia a zona pelúcida degenera e desaparece, o blastocisto fica preso ao epitélio do endométrio.

Com o progresso da invasão do trofoblasto este forma duas camadas: um citotrofoblasto interno (trofoblasto celular) e o sinciciotrofoblasto externo, que produzem substâncias que invadem o tecido materno, permitindo assim que blastocisto penetre no endométrio.

Ao final da primeira semana, o blastocisto está superficialmente fixado na camada do endométrio, alimentando-se do sangue materno.

No oitavo dia, células migram do hipoblasto e formam uma fina membrana exoceloma que envolve a cavidade exocelômica, formando o saco vitelino primário.

No décimo dia, o blastocisto implanta-se lentamente no endométrio. Por volta do décimo dia são visíveis espaços isolados no interior do mesoderma extra-embrionário, estes espaços fundem-se rapidamente para formar grandes cavidades isoladas de celoma extra-embrionário.

Com a formação do celoma extra-embrionário, o saco vitelino primitivo diminui de tamanho resultando num saco vitelino secundário menor.

No décimo segundo dia o sangue materno infiltra-se nas redes lacunares e logo começa a fluir através do sistema lacunar, estabelecendo uma circulação útero-placentário primitiva.

No décimo quarto dia forma-se o mesoderma somático extra-embrionário e as duas camadas de trofoblasto que constituem o córion. Forma-se as vilosidades coriônicas primárias.Surge um espessamento no hipoblasto chamada placa pré-cordal que será a futura região cranial e boca do embrião.

É a partir destas divisões celulares que evoluem rapidamente que se origina um novo ser multicelular.

Material

http://www.google.com.br/imgres?

Situação-Problema

Mesmo que os adolescentes tenham algum conhecimento a respeito do assunto, percebe-se que o conhecimento acerca do desenvolvimento embrionário é bastante superficial. A atividade vem possibilitar o melhor entendimento do processo aprofundando assim o conhecimento dos alunos.

Ações dos Alunos

Os alunos deverão elaborar e entregar a “história em quadrinhos" com base no que aprenderam.

Dicas

Esta atividade deve ser realizada posteriormente á atividade Fecundação, dsiponivel em:

www.cienciamao.if.usp.br

Referências

AMABIS, José Mariano e MARTHO, Gilberto Rodrigues. Biologia dos Organismos. Classificação, estrutura e função nos seres vivos. Volume 2, 1 Edição.

HOUILLON, C. 1972. Sexualidade. Trad.: Marcos Guimarães Ferri. 1.ed. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo.HAMILTON, W.J., BOYD, J.D.,

MOSSMAN, H.W.1968. Embriología Humana. Trad.: Dra. María Teresa Sabattini; Dr. Aníbal Jorge Sánchez. 3.ed. Buenos Aires-Argentina: Editorial Inter-médica.

Disponível em:

http://www.mundovestibular.com.br/articles/383/1/DESENVOLVIMENTO-EMBRIONARIO-HUMANO/Paacutegina1.html

Dados adicionais

Autores: Aline de Freitas Leal, Gisele dos Santos Custódio, Marcos Santos Barbosa, Zaqueu Vieira Oliveira

Duração: Três aulas

Como Obter

Baixar Arquivo Pdf

O CiênciaMão é um repositório de recursos para a educação em ciências produzido pelo grupo de pesquisa Interfaces, da EACH-USP e da UNIFESP Guarulhos e Diadema. Os itens são cadastrados manualmente em um banco de dados, de acordo com diretrizes da coordenação do projeto.

Financiamento e apoio:

Copyright © 2006-2015 Universidade de São Paulo - Universidade Federal de São Paulo
Escola de Artes, Ciências e Humanidades da USP
Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da UNIFESP
Instituto de Ciências Ambientais, Químicas e Farmacêuticas da UNIFESP
Todos os direitos reservados