Recursos para a Educação em Ciências
    Banca da Ciência | Experimentoteca | Mão na Massa
 

Por que os Peixes Não Respiram Fora D'Água?

Gisele dos Santos Custodio

Clique para ampliar

Resumo

Um sistema respiratório é um grupo de células, tecidos e órgãos envolvidos no troca de gases entre o organismo e o ambiente.

Nas superfícies respiratórias as trocas gasosas podem ocorrer diretamente do meio externo para as células, neste caso trata-se da difusão direta, ou os gases respiratórios podem ser conduzidos por um líquido circulante que estabelece a ligação entre o exterior e as células, este processo é conhecido como difusão indireta.

Em resumo a respiração é "simplesmente" uma troca onde as células vivas do corpo conseguem oxigênio (O2) e eliminam o dióxido de carbono (CO2).Respirar significa usar o oxigênio do ar para produzir energia necessária para a manutençaõ da vida.

Objetivos

A atividade consiste em uma simulação da respiração branquial.

Estrutura da Atividade

A atividade se dará da seguinte forma:

1) Antes da simulação o professor apresentará uma aula expositiva sobre respiração.

2) O professor deverá levar as "brânquias" semi prontas. O passo-a-passo da construção será exemplificado pelo professor para que os alunos possam construir sua própria "brânquia"em casa.

3) Após a explicação a sala será organizada em grupos de cinco a seis alunos, onde cada um terá sua "brânquia" e uma bacia transparente cheia de água.

Organização da Classe

Para melhor aproveitamento da atividade a classe deve ser dividida em grupos de cinco a seis alunos, onde cada grupo fará a atividade supervisionado pelo professor.

Introdução

Como já dito anteriormente a respiração é simplesmente uma troca, onde as células vivas do corpo obtém oxigênio (O2) e eliminam o dióxido de carbono (CO2).Respirar significa usar o oxigênio do ar para produzir energia.

Existem muitas formas de respiração nos animais:

A Respiração pulmonar é a respiração realizada através dos pulmões. Ocorre nos mamíferos, nas aves, nos répteis e nos anfíbios adultos. Os pulmões localizam-se dentro do corpo desses animais e funcionam como sacos que se enchem de ar. Este ar entra pelas narinas ou pela boca chegando aos pulmões, onde ocorrem as trocas gasosas, isto quer dizer que, o sangue recebe o oxigênio que será transportado a todas as células do corpo, e levando o gás carbônico (CO2)que será eliminado para o meio.

A Respiração traqueal se dá através de um conjunto de tubos que comunicam o meio exterior aos tecidos corporais possibilitando a troca dos gases respiratórios. As traquéias partem da superfície do corpo através de aberturas chamadas espiráculos e estigmas. São estruturas respiratórias mais simples sendo exclusiva do grupo dos Artrópodes (insetos, aracnídeos, crustáceos.

A Respiração branquial se dá através de Brânquias, que são estruturas respiratórias presentes em animais aquáticos. Ao invés de pulmões, os peixes e outros animais aquáticos, possuem brânquias (guelras).

Sendo constituídas por finas lamelas, onde em seu interior circula o sangue. Estas estruturas são extremamente frágeis, por esta razão são geralmente protegidas pela câmara branquial. Os peixes possuem espécie de aba meio entreaberta na cabeça e se levantarmos essa aba poderemos visualizar as brânquias em sua cavidade.

Este tipo de respiração é mais complicada quando comparada com às outras. Isto porque os peixes não respiram o oxigênio (O2) presente na atmosfera como nós, e nem o oxigênio presente nas moléculas de água (H2O) como muitos pensam, pois se fizessem isso eles estariam transformando a água em outra substância, uma vez que na respiração estariam consumindo o O2 presente na mólecula de água.

Neste tipo de respiração se utiliza o oxigênio (O2) que se encontra dissolvido no meio aquático. O sangue recebe o oxigênio da água, onde se encontra em maior concentração, e simultaneamente, como o gás carbônico (CO2) está em maior concentração no corpo do animal, ele é conduzido para o meio exterior ( meio aquático). Os peixes conseguem extrair o oxigênio que está dissolvido na água porque a água penetra através de sua boca passando pelas brânquias onde o oxigênio (O2)é absorvido pelos vasos sangüíneos ali presentes, sendo depois conduzido para todo o corpo do animal através de seu sistema circulatório.

Material


Figura 1

1 Bacia transparente com água,Fio ou arame maleável,1 novelo de lã vermelha,Tesoura.

Montagem

Para montagem utilizar o passa-a-passo representado nas fotos a seguir.


Figura 2


Figura 3


Figura 4


Figura 5


Figura 6


Figura 7


Figura 8


Figura 9


Figura 10


Figura 11


Figura 12


Figura 13


Figura 14


Figura 15

Conclusões Coletivas

Depois da atividade os alunos poderão verificar o que acontece com os peixes quando são retirados d'água. Na realidade é uma situação muito semelhante ao que ocorre conosco quando tampamos nossas vias respiratórias (não fazer isto em casa), ou seja, quando os peixes estão dentro d'água ( figura 13)suas brânquias se encontram livres permitindo a absorção do oxigênio que está dissolvido no meio aquático, e sua posterior condução para o sangue localizado no interior das brânquias, sendo assim transportado para todo corpo do animal atráves do sitema circulatório. Mas quando são retirados d'água suas brânquias entram em colapso, isto quer dizer que elas "grudam" umas nas outras (observar figura 14 e 15 como as brâquias ficam grudadas umas nas outras) impedindo assim a absorção e passagem do oxigênio (O2) para interior das brânquias, por esta razão os peixes ficam se contorcendo.

Referências

AMABIS, José Mariano e MARTHO, Gilberto Rodrigues. Biologia dos Organismos. Classificação, estrutura e função nos seres vivos. Volume 2, 1 Edição.

Imagem disponível em:

http://ipt.olhares.com/data/big/172/1724343.jpg

Dados adicionais

Autores:  

Gisele dos Santos Custodio

Duração:  

Duas aulas.

Atividade Experimental:  

Simulação

 
 

O CiênciaMão é um projeto de extensão universitária da Escola de Artes, Ciências e Humanidades da Universidade de São Paulo, com apoio da Universidade Federal de São Paulo e das entidades abaixo listadas. É coordenado pelo grupo de pesquisa Interfaces. Constitui-se em um repositório de recursos para a educação em ciências, voltado para educadores em geral. Os itens listados são cadastrados manualmente em um banco de dados, de acordo com diretrizes editoriais da coordenação do projeto.

 

EFLCH
Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas

 

EACH
Escola de Artes, Ciências e Humanidades

Financiamento e apoio:


UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO
Copyright © 2006-2013 Universidade de São Paulo - Todos os direitos reservados