Painel 06
01|02|03|04|05|06|07|08|09|10|11|12|13|14|15|16|17|18|19|20

Humanidade viajante

Os vestígios mais antigos da espécie humana, datados de há quatrocentos mil anos, foram encontrados na África. Desde sempre o homem viajou, devendo superar todo tipo de dificuldades. A maior delas, talvez tenha sido atravessar os oceanos. As evidências indicam que ele chegou na Ásia há 50.000 anos, na Europa há 35.000 e na América há pelo menos 15.000 anos. A tecnologia de construção de barcos se desenvolveu cedo nas ilhas do Oceano Pacífico. As grandes navegações no Oceano Índico e no Atlântico começaram no século XV, na China (onde surgiu a bússola magnética para orientação) e Espanha e Portugal, onde foram desenvolvidas caravelas capazes de expedições intercontinentais.

Representação de patacho, embarcação utilizada pelos portugueses nas viagens ultramarinhas. Livro de Traças de Carpintaria, de Manuel Fernandes, 1616. Biblioteca da Ajuda, Lisboa.

 

Hoje a superfície da Terra é quase toda conhecida. As novas fronteiras de exploração são o interior do planeta e o espaço extra terrestre, cuja exploração exige nova ciência e nova tecnologia. No espaço só temos possibilidade, nas próximas gerações, de explorar o sistema solar, como mostram as distâncias envolvidas:

 

Caravelas da armada de Pedro Álvarez Cabral utilizadas na viagem de descoberta do Brasil. Livro de Lisuarte de Abreu, c.1558. The Pierpont Morgan Library, Nova York.

INTERFACES E NÚCLEOS TEMÁTICOS DE ESTUDOS E RECURSOS DA FANTASIA NAS ARTES, CIÊNCIAS, EDUCAÇÃO E SOCIEDADE
Copyright © 2006-2015 Universidade de São Paulo - Universidade Federal de São Paulo
Escola de Artes, Ciências e Humanidades da USP
Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da UNIFESP
Instituto de Ciências Ambientais, Químicas e Farmacêuticas da UNIFESP
Todos os direitos reservados

Financiamento e apoio: